sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

A Lágrima


(Lendas Orientais)

Foi na formação do mundo, que o Grande Espírito pensava no que deveria necessitar.
A sua obra prima aqui na terra fora criada. Chamou para isso, os seus melhores auxiliares, dando a cada um, uma incumbência.

Assim, desceram eles à Terra, com todo cuidado, com todo zelo, para bem cumprirem suas tarefas. Cada um estudando o homem, procurou cerca-lo de tudo aquilo que o pudesse fazer feliz. Um, criou as montanhas com seus picos altaneiros, cortando os pinheirais que iriam mais tarde enriquecer a humanidade terrena. Outro criou os pássaros que, com seus gorjeios, iriam dissipar qualquer sentimento de tristeza que o homem possuísse.

Mais além, florestas imensas fornecendo a madeira e uma sombra tranqüila para as horas de descanso. Os Oceanos foram criados com uma variedade imensa de peixes para que nada faltasse à sua alimentação. Flores forneceriam perfumes e alegrariam a vista do homem terreno.

Estava, assim, cercado de um verdadeiro paraíso. Nada lhe faltaria e os deuses felizes retornaram ao mundo superior para a prestação dos seus serviços.

E o Grande Deus lhes perguntou:

Está tudo pronto?
E eles unânimes: - Sim, Senhor
A humanidade terrena encontrará naquele orbe, tudo para a sua felicidade.
Pensamos em tudo.

E o Grande Mestre satisfeito, tornou a perguntar:

- Tudo?
Foi quando alguém adiantou-se, o mais jovem dos deuses.
- Senhor! Os teus emissários pensaram em tudo. Cercaram a tua obra-prima das maravilhas da natureza, mas esqueceram que o homem talvez olvide a sua origem divina e se deixe dominar pelos sentimentos que o levarão ao mar de sofrimentos.
- E o que queres tu oferecer ao homem?

E ele humildemente respondeu:

-Senhor ! Deixa-me ir ao encontro, nos momentos de tristeza!
Eu levarei a lágrima que, por certo, será para os homens, uma válvula de salvação e ensinarei que a vida não é só constituída de alegrias. Que é, principalmente, nos momentos difíceis que encetamos, o verdadeiro caminho da felicidade.

A felicidade é constituída de pequeninos nadas, mas que, em conjunto, darão a prova de que os seus sentimentos, seguem aquilo que nos ensinaste.
E assim, o pequenino deus voltou à Terra e ensinou aos homens a chorar e a bendizer os caminhos tortuosos, porque é por eles , que saberemos dar valor aquelas estradas retas, repletas de paz, de amor e de harmonia que nos esperam ao cerrarmos os olhos terrenos e ingressarmos no mundo espiritual, com a felicidade daqueles que aprenderam a crer e a realizar o bem e o amor aos seus semelhantes.

Um comentário:

Claudinha disse...

Que lindo! Perceber a importância da lágrima e do sofrimento dói menos, se percebemos que a vida não é só feita de alegrias e que os momentos difíceis que passamos são o verdadeiro caminho da felicidade... Que belo aprendizado! Principalmente se temos pessoas q mui delicadamente nos ensinam isso. E, vc, Van, é uma delas! Linda mensagem! Valeu!
Bjs, Claudinha