quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Desiderata









Desiderata
Siga tranqüilamente entre a inquietude e a pressa, lembrando-se de que a sempre Paz no silêncio. Tanto quanto possível sem humilhar-se viva em harmonia com todos os que o cercam, fale a sua verdade mansa e claramente e ouça a dos outros mesmo a dos insensatos e ignorantes eles também tem sua própria história.

Evite as pessoas agressivas e transtornadas; elas afligem o nosso espírito.

Se você se comparar com os outros, você se tornará presunçoso e magoado, pois haverá sempre alguém inferior e alguém superior a você.

Viva intensamente o que já pode realizar

Mantenha-se interessado em seu trabalho, ainda que humilde , ele é o que de real existe ao longo de todo tempo, seja cauteloso nos negócios porque o mundo está cheio de astúcias, mas não caia na descrença a virtude existirá sempre , muita gente luta por altos ideais e em toda a parte a vida está cheia de heroísmos.

Seja você mesmo. Principalmente não simule afeição, nem seja descrente do amor: porque mesmo diante de tanta aridez e desencanto, ele é tão perene quanto a relva.

Aceite com carinho o conselho dos mais velhos mas também seja compreensivo aos impulsos inovadores da juventude.


Alimente a força do espírito que o protegerá no infortúnio inesperado. Mas não se desespere com perigos imaginários: muitos temores nascem do cansaço e da solidão.

E a despeito de uma disciplina rigorosa seja gentil para consigo mesmo

Você é filho do Universo, irmão das estrelas e árvores, você merece estar aqui! E mesmo se você não pode perceber, a Terra e o Universo vão cumprindo o seu destino.

Portanto esteja em paz com Deus, como quer que você o conceba. E quaisquer que sejam os seus trabalhos e aspirações, na fatigante jornada pela vida mantenham-se em paz com sua própria alma.

Acima da falsidade dos desencantos e agruras o mundo ainda é bonito seja prudente faça tudo para ser feliz.




Sonhos de Criança






Iraima Bagni
(*Laur@)

Fiquei sabendo que você cresceu
E já não acredita mais em Papai Noel.
Como pode esquecer daquele tempo de criança,
Onde a fantasia reinava ?

O tempo em que você antes de se deitar,
Colocava seu sapatinho na janela
E acordava cedinho, na esperança de encontrar
O presente que Papai Noel lhe deixaria ?

Hoje seus sonhos são outros...
Cadê a "sua " criança ?
Perdeste-a ao longo da vida ?
Não estará ela escondidinha no seu coração ?

Procure-a !

Ela ainda vive dentro de você !
Não deixe que seus sonhos morram !
A fantasia nos faz viver, sonhar, desejar...

Coloque seu sapatinho na janela !
Faça seu pedido !
Talvez ele demore um pouco a se realizar
Mas a vida já te ensinou que tudo tem seu tempo
E você já aprendeu a esperar, a ter paciência...

Já aprendeu que se seu pedido não se realizar
Pode já ser um grande presente,
Pois, nem tudo que queremos é para o nosso bem

Então, pegue seu sapatinho da esperança
Coloque-o na janela do desejo
E aguarde para que seus sonhos
Se tornem realidade.

Depois sorria, compreenda, de pulos
E agradeça seu presente de Natal!
E seja muito, muito FELIZ!!!!!!!!!!!



Sentido do natal





FELIZ NATAL!

A Data do Nascimento do Menino Jesus

Hoje, a data aceita mundialmente para as festividades natalina, é 25 de dezembro. Mas nem sempre foi assim.
Nem mesmo os autores dos Evangelhos bíblicos estavam muito certos da data do nascimento de Jesus. Por exemplo, das declarações no Evangelho de São Mateus encontramos escrito que Jesus nasceu nos tempos do Rei Herodes, enquanto no Evangelho de São Lucas consta que Ele nascera quando Cirênio era governador da Síria, ou mais tarde. Estas duas declarações nos oferecem tema para discussão pois o reinado de Herodes terminou em 4 a.C. e as autoridades bíblicas declaram que o governo de Cirênio foi de 4 a.C. a 1 a.C. e, posteriormente, a 6 A.D.. Outro ponto controverso é a diferença em relação às datas em que se teria realizado o recensiamento de população realizado pelo Imperador romano Augusto, cujo ano é comumente aceito como o do nascimente de Jesus.
Portanto, seria muito difícil para qualquer pessoa elaborar um calendário capaz de dar a data certa do nascimento de Jesus. Até mesmo os Santos Patriarcas da Igreja bem como eminentes autoridades eclesiáticas, por muitos séculos, não conseguiram fixar com exatidão a data de seu nascimento. Os cristãos primitivos celebravam a Natividade com um grande festival em maio, ou, por vezes, em abril e, em outras ocasiões em janeiro. Algumas das mais antigas tradições da Igreja fixavam, em definitivo, o 20 de maio como a data certa, enquanto outras insistiam em fixá-la a 19 ou 20 de abril.
Hoje, nós já temos o apoio da Ciência para a confirmação dos dados apresentados. O astrônomo britânico Colin Humprey, professor da Universidade de Cambridge, afirmou em 1991que a conhecida Estrela de Belém, registrada com absoluta precisão pelos antigos astrônomos chineses, teria sido um cometa. Baseando-se nos seus cálculos, o cometa teria passado pela órbita da Terra 5 anos antes do início da Era Cristã. Apoiando-se nos relatos bíblicos, Humprey concluiu que o nascimento de Jesus ocorreu em abril, provavelmente entre os dias 13 e 27.
É certo que, mesmo que seja comprovada a data exata de Seu nascimento, o 25 de dezembro deve continuar como a data oficial.

Bibliografia:
• O Globo (01/11/1991);
• A Vida Mística de Jesus, Biblioteca Rosacruz I – Editora Renes - H. Spencer Lewis

Abraço do mano e camarada de sempre,
J.Vidal
(mensagem enviada pelo meu mano)



sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Glee_imagine



video
Esse video eu recebi por email,
acho um crime que as pessoas
não possam desfrutar de tanta beleza.
As vezes quebramos regras por amor
a uma causa e essa é uma delas.

Fantástico esse video, vale a pena conferir.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Sol e Lua







Sol E Lua

Silvana Duboc

Quando o SOL e a LUA se encontraram pela primeira vez, se apaixonaram perdidamente e a partir daí começaram a viver um grande amor. Acontece que o mundo ainda não existia e no dia que Deus resolveu criá-los, deu-lhes então o toque final ...o brilho !

Ficou decidido também que o SOL iluminaria o dia e que a LUA iluminaria a noite,
sendo assim, seriam obrigados a viverem separados.Abateu-se sobre eles uma grande tristeza quando tomaram conhecimento de que nunca mais se encontrariam.

A LUA foi ficando cada vez mais amargurada, mesmo com o brilho que Deus havia lhe dado, ela foi se tornando solitária.

O SOL por sua vez havia ganhado um título de nobreza "ASTRO REI", mas isso também não o fez feliz.

Deus então chamou-os e explicou-lhes: Vocês não devem ficar tristes, ambos agora já possuem um brilho próprio. Você LUA, iluminará as noites frias e quentes, encantará os enamoradose será diversas vezes motivo de poesias.

Quanto a você SOL , sustentará esse título porque será o mais importante dos astros,
iluminará a terra durante o dia, fornecerá calor para o ser humano e a sua simples presença fará as pessoas mais felizes.

No entanto sua preocupação era tão grande que resolveu fazer um pedido a ELE: Senhor, ajude a LUA por favor, ela é mais frágil do que eu, não suportará a solidão... E Deus em sua imensa bondade criou então as estrelas para fazerem companhia a ela.

A LUA entristeceu-se muito com seu terrível destino e chorou dias a fio...já o SOL ao vê-la sofrer tanto, decidiu que não poderia deixar-se abater pois teria que dar-lhe forças e ajudá-la a aceitar o que havia sido decidido por Deus.

A LUA sempre que está muito triste recorre as estrelas que fazem de tudo para consolá-la, mas quase sempre não conseguem.

Hoje eles vivem assim....separados, o SOL finge que é feliz, a LUA não consegue esconder que é triste.

O SOL ainda esquenta de paixão pela LUA e ela ainda vive na escuridão da saudade.

LUA e SOL seguem seu destino, ele solitário mas forte, ela acompanhada das estrelas, mas fraca. Humanos tentam a todo instante conquistá-la, como se isso fosse possível.

Vez por outra alguns deles vão até ela e voltam sempre sozinhos, nenhum deles
jamais conseguiu trazê-la até a terra, nenhum deles realmente conseguiu conquistá-la, por mais que achem que sim.

Acontece que Deus decidiu que nenhum amor nesse mundo seria de todo impossível,
nem mesmo o da LUA e o do SOL... e foi aí então que ele criou o eclipse.

Hoje SOL e LUA vivem da espera desse instante, desses raros momentos que lhes foram concedidos e que custam tanto a acontecer.

Quando você olhar para o céu a partir de agora e ver que o SOL encobriu a LUA é porque ele deitou-se sobre ela e começaram a se amar e é ao ato desse amor que se deu o nome de eclipse.

Importante lembrar que o brilho do êxtase deles é tão grande que aconselha-se não olhar para o céu nesse momento, seus olhos podem cegar de ver tanto amor.

Bem, mas na terra também existe sol e lua... e portanto existe eclipse.... mas essa era a única parte da história que você já sabia, não era?

"EU SOU APAIXONADA POR ESSE TEXTO"


sexta-feira, 29 de outubro de 2010

"Preciso de Alguém






Cris Passinato


"Preciso de Alguém 
Que me olhe nos olhos quando falo.
Que ouça as minhas tristezas
e neuroses com paciência.

E, ainda que não compreenda,
respeite os meus sentimentos.

Preciso de alguém,
que venha brigar ao meu lado
sem precisar ser convocado;

alguém Amigo o suficiente
para dizer-me as verdades
que não quero ouvir,

mesmo sabendo que posso odiá-lo por isso.
Nesse mundo de céticos,
preciso de alguém que creia,

nessa coisa misteriosa,
desacreditada, quase impossível:
A Amizade.

Que teime em ser leal, simples e justo,
que não vá embora se algum

dia eu perder o meu ouro
e não for mais a sensação da festa.

Preciso de um Amigo
que receba com gratidão o meu auxílio,
a minha
mão estendida.

Mesmo que isto seja muito pouco
para suas necessidades.

Preciso de um Amigo
que também seja companheiro,
nas farras e pescarias,

nas guerras e alegrias,
e que no meio da tempestade,
grite em coro comigo :

" Nós ainda vamos rir muito disso tudo "
e ria muito.

Não pude escolher aqueles que me trouxeram ao mundo,
mas posso
escolher meu Amigo.

E nessa busca empenho a minha própria alma,
pois com uma Amizade
Verdadeira,
a vida se torna mais simples,
mais rica e mais bela ."

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Contradição



Sou louca quando tento viver normalmente
Sou rouca quando falo palavras ao vento
Sou pouca quando o muito me possui
Sou fraca quando a força é preciso
Sou triste quando morro de alegria
Sou o medo quando me encho de coragem
Sou pouca em estado apaixonado
Sou perdida quando encontro o meu caminho
Sou o vazio quando tiro a poesia
Sou a reta quando a curva me envolve
Sou salva quando a água me afoga
Sou o laço quando o nó é dado em cego
Sou o tudo quando o nada me acontece.



Canção



Lya luft
Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais.
Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.
Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor.
Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso.
Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso poder fazer tolices tantas vezes.
Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais.
Que o outro sinta quanto me dói a idéia da perda, e ouse ficar comigo um pouco — em lugar de voltar logo à sua vida, não porque lá está a sua verdade mas talvez seu medo ou sua culpa.
Que se começo a chorar sem motivo depois de um dia daqueles, o outro não desconfie logo que é culpa dele, ou que não o amo mais.
Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo “Olha que estou tendo muita paciência com você!”
Que se me entusiasmo por alguma coisa o outro não a diminua, nem me chame de ingênua, nem queira fechar essa porta necessária que se abre para mim, por mais tola que lhe pareça.
Que quando sem querer eu digo uma coisa bem inadequada diante de mais pessoas, o outro não me exponha nem me ridicularize.
Que quando levanto de madrugada e ando pela casa, o outro não venha logo atrás de mim reclamando: “Mas que chateação essa sua mania, volta pra cama!”
Que se eu peço um segundo drinque no restaurante o outro não comente logo: “Pôxa, mais um?”
Que se eu eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire.Que o outro — filho, amigo, amante, marido — não me considere sempre disponível, sempre necessariamente compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.
Que, finalmente, o outro entenda que mesmo se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa: vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa — uma mulher.


Buquês


Essa vontade de espalhar buquês de sorrisos por aí,
porque os sensíveis,
por mais que chorem de vez em quando ou de vez em muito,
não deixam adormecer
a idéia de um mundo
que possa acordar sorrindo.
Pra toda gente. Pra todo ser. Pra toda vida."
(Ana Jácomo)




Sobre o Hábito






A gente não se liberta de um hábito atirando-o pela janela:
é preciso fazê-lo descer a escada, degrau por degrau.

(Mark Twain)

Estou descendo os meus rsrs



Crescimento






Podemos escolher recuar em direção à segurança
ou avançar em direção ao crescimento
A opção pelo crescimento tem que ser feita repetidas vezes.
E o medo tem que ser superado a cada momento.

" [ Abraham Maslow ]

domingo, 17 de outubro de 2010

A Vida



Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.
Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.
Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.
As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.
A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.
O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta,
mas as emoções que podemos deixar

duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre.

Clarice Lispector



"Terei toda a aparência de quem falhou, e só eu saberei se foi a falha necessária."
(A paixão segundo G.H)

"...estou procurando, estou procurando. Estou tentando me entender.Tentando dar a alguém o que vivi e não sei a quem, mas não quero ficar com o que vivi.
Não sei o que fazer do que vivi, tenho medo dessa desorganização profunda."

"Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida e nela só se tem uma chance de fazer aquilo que se quer.
Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz."

..."Pegue para você o que lhe pertence,
e o que lhe pertence é tudo o que sua vida exige.
Parece uma vida amoral.
Mas o que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesma."

"...há impossibilidade de ser além do que se é - no entanto eu me ultrapasso mesmo sem o delírio, sou mais do que eu, quase normalmente - tenho um corpo e tudo que eu fizer é continuação de meu começo......a única verdade é que vivo.
Sinceramente, eu vivo.
Quem sou?
Bem, isso já é demais...."

"Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!"

..."Pegue para você o que lhe pertence,
e o que lhe pertence é tudo o que sua vida exige.
Parece uma vida amoral.
Mas o que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesma."

"...Respeite mesmo o que é ruim em você
- respeite sobretudo o que imagina que é ruim em você
- não copie uma pessoa ideal, copie você mesma
- é esse seu único meio de viver."

"Não quero ter a terrível limitação de quem vive
apenas do que é possível fazer sentido.
Eu não: quero é uma verdade inventada".

"Pois logo a mim, tão cheia de garras e sonhos,

coubera arrancar de seu coração a flecha farpada.

De chofre explicava-se para que eu nascera
com mão dura, e para que eu nascera sem nojo da dor.
Para que te servem essas unhas longas?
Para te arranhar de morte
e para arrancar os teus espinhos mortais,
responde o lobo do homem.
Para que te serve essa cruel boca de fome?
Para te morder e para soprar a fim
de que eu não te doa demais,
meu amor, já que tenho que te doer,
eu sou o lobo inevitável pois a vida me foi dada.
Para que te servem essas mãos que ardem e prendem?
Para ficarmos de mãos dadas,
pois preciso tanto, tanto, tanto - uivaram
os lobos e olharam intimidados as próprias
garras antes de se aconchegarem um no outro para amar e dormir. "




Entre duas notas de música existe uma nota,entre dois fatos existe um fato,entre dois grãos de areia por mais juntos que estejamexiste um intervalo de espaço,existe um sentir que é entre o sentir- nos interstícios da matéria primordialestá a linha de mistério e fogoque é a respiração do mundo,e a respiração contínua do mundoé aquilo que ouvimose chamamos de silêncio.


Pensamentos



"Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil."
"Mas nem sempre é necessário tornar-se forte. Temos que respeitar nossas fraquezas. Então, são lágrimas suaves, de uma tristeza legítima à qual temos direito. Elas correm devagar e quando passam pelos lábios sente-se aquele gosto pouco salgado, produto de nossa DOR mais profunda".
"Há um silêncio dentro de mim. E esse silêncio tem sido a fonte de minhas palavras."
" Tudo tem que ser bem de leve para eu não me assustar e não assustar os que amo.Pedem-me pouco, pedem-me quase nada. O terrível é que eu tenho muito para dar e tenho que engolir esse muito e ainda por cima dizer com delicadeza : obrigada por receberem de mim um pouquinho de mim."
"Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar."
"Fico com medo. Mas o coração bate.O amor inexplicável faz o coração bater mais depressa.A garantia única é que eu nasci.Tu és uma forma de ser eu, e eu uma forma de te ser: Eis os limites de minha possibilidade."
" Não posso perder um minuto do tempo que faz minha vida.Amar os outros é a única salvação individual que conheço : ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca."
"Mas tenho medo do que é novo e tenho medo de viver o que não entendo - quero sempre ter a garantia de pelo menos estar pensando que entendo, não sei me entregar à desorientação."
"Não é que vivo em eterna mutação, com novas adaptações a meu renovado viver e nunca chego ao fim de cada um dos modos de existir. Vivo de esboços não acabados e vacilantes. Mas equilibro-me como posso, entre mim e eu, entre mim e os homens, entre mim e o Deus."
"Ela acreditava em anjo e, porque acreditava, eles existiam."(A Hora da Estrela)
"Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós."

"Eu sou à esquerda de quem entra. E estremece em mim o mundo.
(...) Sou caleidoscópica: fascinam-me as minhas mutações faiscantes que aqui caleidoscopicamente registro.Sou um coração batendo no mundo."


sábado, 9 de outubro de 2010



Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo,
já perdi um AMOR por escondê-lo.Já segurei nas mãos de alguém por medo,
já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida,
já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono,
já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos. Já acreditei em amores perfeitos,
já descobri que eles não existem. Já amei pessoas que me decepcionaram,
já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou,
já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.Já menti e me arrependi depois,
já falei a verdade e também me arrependi.Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.Já sorri chorando lágrimas de tristeza,
já chorei de tanto rir. Já acreditei em pessoas que não valiam a pena,
já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva. Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar,
já calei quando deveria gritar. Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns,
já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz. Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade...
Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer,
já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria. Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo.
Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram...
Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração! Não me façam ser o que não sou,
não me convidem a ser igual,
porque sinceramente sou diferente! Não sei amar pela metade,
não sei viver de mentiras,
não sei voar com os pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas,
das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas,
dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes. Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer: - E daí?
EU ADORO VOAR!

"Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar."
"Minha força está na solidão.
Não tenho medo nem de chuvas tempestivas
nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite."
"Renda-se, como eu me rendi.
Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei.

Não se preocupe em entender,viver ultrapassa qualquer entendimento."
"É difícil perder-se.
É tão difícl que provavelmente arrumarei depressa um
modo de me achar, mesmo que achar-me seja de novo a mentira de que vivo.""Saudade é um pouco como fome.
Só passa quando se come a presença.
Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteiraé um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."

"Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome."
"E se me achar esquisita,respeite também, até eu fui obrigada a me respeitar."
"É curioso como não sei dizer quem sou.
Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer.
Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo."

"Minha alma tem o peso da luz.
Tem o peso da música.
Tem o peso da palavra nunca dita,
prestes quem sabe a ser dita.
Tem o peso de uma lembrança.
Tem o peso de uma saudade.
Tem o peso de um olhar.
Pesa como pesa uma ausência.
E a lágrima que não se chorou.
Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros."

"Fique de vez em quando só, senão será submergido. Até o amor excessivo pode submergir uma pessoa."
"Olhe, tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras.
Sou irritável e firo facilmente.
Também sou muito calmo e perdôo logo.
Não esqueço nunca.
Mas há poucas coisas de que eu me lembre."
"Faça com que eu saiba ficar com o nada e mesmo assim me sentir como se estivesse pleno de tudo..."
deve-se viver apesar de.
"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato, a questão é...Ou toca, ou não toca ".
"...Respeite mesmo o que é ruim em você - respeite sobretudo o que imagina que é ruim em você - não copie uma pessoa ideal, copie você mesma - é esse seu único meio de viver."
'-O que obviamente não presta sempre me interessou muito. Gosto de um modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão."
"Inútil querer me classificar, eu simplesmente escapulo não deixando. Gênero não me pega mais."
"Gosto dos venenos os mais lentos!
As bebidas as mais fortes!
Dos cafes mais amargos!
E os delirios mais loucos.
Voce pode ate me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
E daí
eu adoro voar"!!!
"Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos é tirar essa pessoa de nossos sonhos e abraçá-la. "

'...Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
Que eu saiba ficar com o nada e mesmo assim me sentir como se estivesse plena de tudo".

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Os significados ocultos dos sonhos



ABANDONO: Sugere a existência de um conflito entre o eu e os outros. Repetido com frequência, revela uma das funções dos sonhos: liberar nossa sexualidade e afetividades contidas.
ABISMO: Se caímos no fundo de um abismo é porque tememos que algo que estamos fazendo dê errado. É sempre a representação da dúvida. Trata-se de um sonho muito comum quando enfrentamos situações difíceis.
ABRAÇO: Em geral denota extrema preocupação de esclarecer se a pessoa que nos está abraçando é sincera e se podemos confiar nela.
ABUNDÂNCIA: Se estamos nadando em abundância de qualquer coisa, significa que tememos carecer do necessário. È um sonho pertubador, sobretudo se , ao acordar, experimentamos um estranho sentimento de angústia.
ACIDENTE: É um sonho clássico relacionado com a ansiedade. Se escapamos sem danos, significa que acreditamos ter suficiente controle pessoal para sair bem de alguma circunstância. Se, ao contrário, ficamos feridos ou perdemos a vida, significa que tememos carecer de habilidade necessária para resolver uma situação de conflito.

ACUSADO: Ser acusado em sonho não é algo ruim, como se poderia supor. Significa alegria por terevitado ou superado uma armadilha. Ao contrário, acusar alguém mostra que há poucas penas e padecimentos ocultos.

ADULTÉRIO: É um dos sonhos chamados traumáticos. Se somos nóss que cometemos adultério, significa uma enorme crítica ao outro lado do casal. Se é o outro que pratica adultério, anuncia uma enorme infelicidade. Caso seja um sonho recorrene, é necessário consultar o analista.

ADVOGADO: Alguém do nosso círculo (ou nós mesmos) está necessitando de ajuda com urgência.

ÁRVORE: Em geral, a árvore denota confiança em alcançar o bem -estar material. Só muito raramente tem uma simbologia romântica ou espiritual.

ATOR (ATRIZ): Se nós vemos como ator, poderia significar que confiamos em nossas próprias habilidades para ter sucesso. Se o tema se repetenos sonhos, geralmente quer dizer que buscamos um reconhecimentoespecífico, que queremos ser aplaudido por algo.

AUTOMÓVEL: É a mais perfeita representação da independência pessoal. Significa que desejamos ser livres. Sobretudo se somos nós que estamos no volante.

BAILE:Quer estejamos dançando ou vendo outras pessoas dançar, a mensagem é sempre erótica. Se a cena for alegre, é sintoma de extremo hedonismo.

BEIJO: Movimento em direção à unidade com os demais. Aceitação da sexualidade.

BOTE (BARCO, NAVIO): A viagem é um arquétipo típico da busca das próprias raizes na vida. Também pode demonstrar dificuldade em abandonar algo.

BRIGA: Dificuldades relacionadas com a independência de nossos julgamentos e atitudes. Assédio sexual, conflitos morais.

CARNE: Gozo sexual, satisfação ou necessidades físicas.

CASA (EDIFÍCIO): Expressa nosso corpo e personalidade. O significado varia de acordo com o contexto. Pode estar relacionado com o desejo de privacidade.

CAVERNA: Vida intra-uterina. Vagina. Alguns autores relacionam esse sonho com o medo de enlouquecer e outros o relacionam a nossa própria morte.

CEMITÉRIO: Caso seja repetitivo, esse sonho pode indicar neurose. De forma ocasional, indica uma forte intenção de romper com o passado.

DESERTO:Sentir-se abandonado. Pode indicar também preocupação pela falta de atividade social. Esterilidade, frigidez. Denota preocupação por não tomar decisões.

DIVÓRCIO:Medo ou desejo de romper alguma relação não necessariamente sentimental. Pode indicar alguma dificuldade de relacionamento social.

ENFERMIDADE: Aparecem como doenças ou infecções todas as lembrnças dolorosas ou ressentimentos reprimidos. Também indica o desejo de terminar uma relação.

ESCURIDÂO: Relação negativa como inconsciente. Dualidade. Melancolia.

ESCREMENTOS: Sentimento de repulsa. Se relacionados com outras pessoas, indicam desprezo e repugnância. Fazer ou receberacusações injustas.

FLORES: Sentido da beleza, florescimento da capacidade de sentir. Dependendo da forma, órgãos sexuais.

FOGO: Paixão, sexualidade, desejo. Vontade intensa de destruir algo. Desânimo porque o transcorrer de nossa vida só deixa cinzas.

FRIO:Domínio das emoções, especialmente do medo.

FUNERAL: Quando é o nosso, indica resignação perante a morte. Trata-se de um sonho comum, que também pode demonstrar desprezo ou indiferença frente à pessoa enterrada.

GENITAIS: Ref~erencia direta à sexualidade. Pode ocultar um sentimento de castração ou desejo de prazer.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

A História de Nicolau


Conta-se que há muitos séculos num povoado distante vivia um homem, o mais antigo morador do lugar. Nicolau era o seu nome. Por ser antigo e conhecer tudo e todos, foi dado a ele a tarefa de atender os peregrinos e também moradores do povoado.

Era comum que as caravanas precisassem de lugar para abrigar as pessoas, além do fornecimento de comidas e outras ajudas contra as tempestades e doenças

Dado a importância do cargo Nicolau desfrutava de status era recompensado recebendo contas, a moeda da época. Servir para aquele povo era a tarefa mais ilustre e nobre.

Passaram-se anos e nicolau a todos atendia com presteza, o que lhe conferia muito respeito e admiração. De repente, Nicolau começou a entediar-se da tarefa. Sentia-se cansado, e começava a não ter tanta disponibilidade nem paciência suficiente para ouvir os problemas dos outros, e começou a falhar na execução de suas tarefas.



De tanto que serviu Nicolau achou que merecia ser agraciado. E passou a alimentar um sonho de que um dia ainda em vida merecia ver o seu Deus. E então, começou a meditar por horas a fio numa maneira de encontrar e estar perto do seu Deus. Envolveu-se tanto a ponto de de rejeitar prestar o atendimento que lhe era solicitado.

Absorvido nos seus pensamentos, um dia se indispôs com um peregrino que não ficou satisfeito com o atendimento que recebeu e reclamou veementemente de Nicolau. Por sua vez Nicolau tratou o cidadão com grande descortesia. Nicolau decidiu que, naquele dia não atenderia a mais ninguém, e comunicou a decisão tomada à sua mulher.

A noite já estava caindo, quando alguém bate à porta com muita insistência. Irritadíssimo Nicolau vai atender com muita má vontade. Depara-se com um cidadão acompanhado de sua jovem esposa em avançado estado de gravidez. Senhor, por Deus me ajude, minha mulher sente dores, precisamos pernoitar aqui, nos indique onde poderemos nos acomodar! Falou angustiado o cidadâo.

Nicolau irritado disse: Nada posso fazer pelo senhor, todas as pousadas estão lotadas"
Humildemente o cidadão perguntou: Senhor e no seu quintal não teria um lugar que nos acomodasse?

Mais irritado ainda Nicolau respondeu:O que...? eu nem o conheço e vou abrigá-lo na minha casa? Nem pensar...

A mulher de Nicolau compadecida com a situação da jovem senhora tentou interferir a favor do casal, o que deixou Nicolau muito mais irritado.

Meu amigo, bradou Nicolau: estou muito ocupado com minhas orações não tenho tempo a perder. Se quiser pernoitar aqui vá lá para aquelas bandas, disse apontando um local a esmo, que o senhor por certo encontrará um local.

E assim o casal saiu se dirigindo ao local indicado por Nicolau.

No dia seguinte o povoado amanheceu com um ar de mistério, diferente. As pessoas sentiam mas não sabiam explicar. Algo muito sutil e diferente emanava de um deerminado local, atraindo a atenção de todos. Curioso, Nicolau também foi atraído para ver o que tinha ocorrido.

Lá chegando inexplicavelmente sentiu-se envolvido pelo ar suave de mistério, sem que soubesse o por quê de tudo aquilo. Nicolau estava contemplativo tentando entender o que ocorrera, quando ouviu uma voz suave sussurrando:

Nicolau que pena! Você ajudou tantas pessoas atendendo com tanto desvelo. Sonhou tanto em encontrar o seu Deus, como forma de ser recompensado por toda dedicação. Tantas foram as oportunidades desperdiçadas....Mas, ontem, quando esteve diante de sua maior oportunidade deixou de atender àquele que veio ao mundo para servir a todos sem nada pedir...


sábado, 11 de setembro de 2010

Sobre a hostilidade



"Tanto que eu tenho falado, tenho que tenho escrito - como não imaginar que, sem querer, feri alguém? Às vezes sinto, numa pessoa que acabo de conhecer, uma hostilidade surda, ou uma reticência de mágoas".
Rubem Alves


Urubus e Sabiás




Rubem Alves

"Tudo aconteceu numa terra distante, no tempo em que os bichos falavam... Os urubus, aves por natureza becadas, mas sem grandes dotes para o canto, decidiram que, mesmo contra a natureza eles haveriam de se tornar grandes cantores. E para isto fundaram escolas e importaram professores, gargarejaram dó-ré-mi-fá, mandaram imprimir diplomas, e fizeram competições entre si, para ver quais deles seriam os mais importantes e teriam a permissão para mandar nos outros. Foi assim que eles organizaram concursos e se deram nomes pomposos, e o sonho de cada urubuzinho, instrutor em início de carreira, era se tornar um respeitável urubu titular, a quem todos chamam de Vossa Excelência.
Tudo ia muito bem até que a doce tranqüilidade da hierarquia dos urubus foi estremecida. A floresta foi invadida por bandos de pintassilgos tagarelas, que brincavam com os canários e faziam serenatas para os sabiás... Os velhos urubus entortaram o bico, o rancor encrespou a testa , e eles convocaram pintassilgos, sabiás e canários para um inquérito '
- Onde estão os documentos dos seus concursos?' E as pobres aves se olharam perplexas, porque nunca haviam imaginado que tais coisas houvessem.
Não haviam passado por escolas de canto, porque o canto nascera com elas. E nunca apresentaram um diploma para provar que sabiam cantar, mas cantavam simplesmente...
— Não, assim não pode ser. Cantar sem a titulação devida é um desrespeito à ordem. E os urubus, em uníssono, expulsaram da floresta os passarinhos que cantavam sem alvarás... MORAL: Em terra de urubus diplomados não se houve canto de sabiá."

O texto acima foi extraído do livro de Português mod. 4 NUPEP-UFPE - Centro de Educação Recife , 2001 pág. 28


quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Você é um Número


Se você não tomar cuidado vira um número até para si mesmo. Porque a partir do instante em que você nasce classificam-no com um número. Sua identidade no Félix Pacheco é um número. O registro civil é um número. Seu título de eleitor é um número. Profissionalmente falando você também é. Para ser motorista, tem carteira com número. e chapa de carro. No Imposto de Renda, o contribuinte é identificado com um número. Seu prédio, seu telefone, seu número de apartamento - Tudo é número.
Se é dos que abrem crediário, para eles você é um número. Se tem propriedade, também. Se é sócio de um clube tem um número. Se é imortal da Academia Brasileira de Letras tem número da cadeira.
É por isso que vou tomar aulas particulares de Matemática. Preciso saber das coisas. Ou aulas e Física. Não estou brincando: vou mesmo tomar aulas de Matemática, preciso saber alguma coisa sobre cálculo integral.
Se você é comerciante, seu alvará de Localização o classifica também.
Se é contribuinte de qualquer obra de beneficência também é solicitado por um número. Se faz viagem de passeio ou de turismo ou de negócio recebe um número. Para tomar um avião, dão-lhe um número. Se possui ações também recebe um, como acionista de uma companhia. É claro que você é um número no recenseamento. Se é católico recebe um número de batismo. No Registro civil ou religioso você é um número. Se possui personalidade jurídica tem. E quando a gente morre, no jazigo, tem um número. E a certidão de óbito também.
Nós não somos ninguém? Protesto. Aliás é inútil o protesto. E vai ver meu protesto também é número.
Uma amiga minha contou que no Alto do Sertão de Pernambuco uma mulher estava com o filho doente, desidratado, foi ao Posto de Saúde. E recebeu a ficha com o número 10. Mas dentro do horário previsto pelo médico a criança não pode ser atendida porque só atenderam até o número 9. A criança morreu por causa de um número. Nós somos culpados.
Se há uma guerra, você é classificado por um número. Numa pulseira com placa metálica, se não me engano. Ou numa corrente de pescoço, metálica.
Nós vamos lutar contra isso. Cada um é um, sem número. O si-mesmo é apenas o si-mesmo.
E Deus não é número.
Vamos ser gente por favor. Nossa sociedade está nos deixanso secos como um número seco, como um osso branco seco exposto ao sol.
Meu número íntimo é 9, Só...8 Só. 7. Só. (sic). Sem somá-los nem transformá-los em novecentos e oitenta e sete. Estou me classificando como número? Não, a intimidade não deixa. Vejam . tentei várias vezes na vida não ter número e não escapei. O que faz com que precisemos de muito carinho, de nome próprio, de genuinidade. Vamos amar que o amor não tem número. Ou tem?

LISPECTOR, Clarice. A Descoberta do mundo. 3 ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992, p 396-398

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Oficialmente Velho



Leonardo Boff


Neste mês de dezembro completo 70 anos. Pelas condições brasileiras, me torno oficialmente velho. Isso não significa que estou próximo da morte, porque esta pode ocorrer já no primeiro momento da vida. Mas é uma outra etapa da vida, a derradeira. Esta possui uma dimensão biológica, pois irrefreavelmente o capital vital se esgota, nos debilitamos, perdemos o vigor dos sentidos e nos despedimos lentamente de todas as coisas. De fato, ficamos mais esquecidos, quem sabe, impacientes e sensíveis a gestos de bondade que nos levam facilmente às lágrimas,
Mas há um outro lado, mais instigante. A velhice é a última etapa do crescimento humano. Nós nascemos inteiros. Mas nunca estamos prontos. Temos que completar nosso nascimento ao construir a existência, ao abrir caminhos, ao superar dificuldades e ao moldar o nosso destino. Estamos sempre em gênese. Começamos a nascer, vamos nascendo em prestações ao longo da vida até acabar de nascer. Então entramos no silêncio. E morremos.
A velhice é a última chance que a vida nos oferece para acabar de crescer, madurar e finalmente terminar de nascer. Neste contexto, é iluminadora a palavra de São Paulo: "na medida em que definha o homem exterior, nesta mesma medida rejuvenesce o homem interior". A velhice é uma exigência do homem interior. Que é o homem interior? É o nosso eu profundo, o nosso modo singular de ser e de agir, a nossa marca registrada, a nossa identidade mais radical. Esta identidade devemos encará-la face a face.
Ela é pessoalíssima e se esconde atrás de muitas máscaras que a vida nos impõe. Pois a vida é um teatro no qual desempenhamos muitos papéis. Eu, por exemplo, fui franciscano, padre, agora leigo, teólogo, filósofo, professor, conferencista, escritor, editor, redator de algumas revistas, inquirido pelas autoridades doutrinais do Vaticano, submetido ao "silêncio obsequioso" e outros papéis mais. Mas há um momento em que tudo isso é relativizado e vira pura palha. Então deixamos o palco, tiramos as máscaras e nos perguntamos: Afinal, quem sou eu? Que sonhos me movem? Que anjos que habitam? Que demônios me atormentam? Qual é o meu lugar no desígnio do Mistério? Na medida em que tentamos, com temor e tremor, responder a estas indagações vem à lume o homem interior. A resposta nunca é conclusiva; perde-se para dentro do Inefável.
Este é o desafio para a etapa da velhice. Então nos damos conta de que precisaríamos muitos anos de velhice para encontrar a palavra essencial que nos defina. Surpresos, descobrimos que não vivemos porque simplesmente não morremos, mas vivemos para pensar, meditar, rasgar novos horizontes e criar sentidos de vida. Especialmente para tentar fazer uma síntese final, integrando as sombras, realimentando os sonhos que nos sustentaram por toda uma vida, reconciliando-nos com os fracassos e buscando sabedoria. É ilusão pensar que esta vem com a velhice. Ela vem do espírito com o qual vivenciamos a velhice como a etapa final do crescimento e de nosso verdadeiro Natal.
Por fim, importa preparar o grande Encontro. A vida não é estruturada para terminar na morte, mas para se transfigurar através da morte. Morremos para viver mais e melhor, para mergulhar na eternidade e encontrar a Última Realidade, feita de amor e de misericórdia. Aí saberemos finalmente quem somos e qual é o nosso verdadeiro nome.
Nutro o mesmo sentimento que o sábio do Antigo Testamento: "contemplo os dias passados e tenho os olhos voltados para a eternidade".
Por fim, alimento dois sonhos, sonhos de um jovem ancião: o primeiro é escrever um livro só para Deus, se possível com o próprio sangue; e o segundo, impossível, mas bem expresso por Herzer, menina de rua e poetisa:"eu só queria nascer de novo, para me ensinar a viver". Mas como isso é irrealizável, só me resta aprender na escola de Deus. Parafraseando Camões, completo: mais vivera se não fora, para tão longo ideal, tão curta a vida.
Teólogo, filósofo e escritor


quinta-feira, 20 de maio de 2010

Relacionamento Tênis e Frescobol por Rubem Alves



Depois de muito meditar sobre o assunto concluí que os casamentos (relacionamentos) são de dois tipos: há os casamentos do tipo Tênis e há os casamentos do tipo Frescobol.

Os casamentos do tipo tênis são uma fonte de raiva e ressentimentos e terminam mal. Os casamentos do tipo Frescobol são uma fonte de alegria e têm a chance de ter vida longa. Explico-me.

Para começar, uma afirmação de Nietzche, com a qual concordo inteiramente. Dizia ele: "Ao pensar sobre a possibilidade do casamento, cada um deveria se fazer a seguinte pergunta:
"Você crê que seria capaz de conversar com prazer com esta pessoa até sua velhice?"
Tudo o mais no casamento é transitório, mas as relações que desafiam o tempo são aquelas construídas sobre a arte de conversar.

Sherezade sabia disso. Sabia que os casamentos baseados nos prazeres da cama são sempre decapitados pela manhã, e terminam em separação, pois os prazeres do sexo se esgotam rapidamente, terminam na morte, como no filme O Império dos
Sentidos. Por isso, quando o sexo já estava morto na cama, e o amor não mais se podia dizer através dele, Sherezade o ressuscitava pela magia da palavra: começava uma longa conversa sem fim, que deveria durar mil e uma noites. O sultão se calava e escutava as suas palavras como se fossem música. A música dos sons ou da palavra - é a sexualidade sob a forma da
eternidade: é o amor que ressuscita sempre, depois de morrer. Há os carinhos que se fazem com o corpo e há os carinhos que se fazem com as palavras.

E contrariamente ao que pensam os amantes inexperientes. Fazer carinho com as palavras não é ficar repetindo o tempo todo:
"Eu te amo". Barthes advertia: "Passada a primeira confissão, eu te amo não quer dizer mais nada". É na conversa que o nosso verdadeiro corpo se mostra, não em sua nudez anatômica, mas em sua nudez poética. Recordo a sabedoria de Adélia
Prado: "Erótica é a alma".
Tênis é um jogo feroz. O objetivo é derrotar o adversário. E a sua derrota se revela no seu erro: O outro foi incapaz de devolver a bola. Joga-se tênis para fazer o outro errar. O bom jogador é aquele que tem a exata noção do ponto fraco do seu adversário, é justamente para aí que ele vai dirigir sua cortada. Palavra muito sugestiva - que indica o seu objetivo sádico, que é o de cortar, interromper, derrotar. O prazer do tênis se encontra, portanto, no momento em que o jogo não pode mais continuar porque o adversário foi colocado fora de jogo. Termina sempre com a alegria de um e a tristeza de outro.

Frescobol se parece muito com o tênis: dois jogadores, duas raquetes e uma bola. Só que, para o jogo ser bom, é preciso que nenhum dos dois perca. Se a bola veio meio torta, a gente sabe que não foi de propósito e faz o maior esforço do mundo para devolvê-la gostosa, no lugar certo, para que o outro possa pegá-la. Não existe adversário porque não há ninguém a ser derrotado. Aqui ou os dois ganham ou ninguém ganha. E ninguém fica feliz quando o outro erra. O erro de um, no frescobol, é um acidente lamentável que não deveria ter acontecido. E o que errou pede desculpas, e o que provocou o erro se sente culpado. Mas não tem importância: começa-se de novo este delicioso jogo em que ninguém marca pontos...

A bola: são nossas fantasias, irrealidades, sonhos sob a forma de palavras. Conversar é ficar batendo sonho prá lá, sonho prá cá....
Mas há casais que jogam com os sonhos como se jogassem tênis. Ficam à espera do momento certo para a cortada. Tênis é assim: recebe-se o sonho do outro para destruí-lo, arrebentá-lo, como bolha de sabão.. O que se busca é ter razão e o que se ganha é o distanciamento. Aqui, quem ganha sempre perde.

Já no frescobol é diferente: o sonho do outro é um brinquedo que deve ser preservado, pois se sabe que, se é sonho, é coisa delicada, do coração.

O bom ouvinte é aquele que, ao falar, abre espaços para que as bolhas de sabão do outro voem livres ao vento. Bola vai, bola vem - cresce o amor... Ninguém ganha, para que os dois ganhem. E se deseja então que o outro viva sempre, eternamente, para que o jogo nunca tenha fim...